É importante o estudo de bhakti?

     




     Às vezes nós podemos ser enganados a acreditar que não devemos estudar os livros devocionais, pensando: "Analisar, saber, isso não é parte de devoção. Isso não é necessário, é conhecimento, jnan, e isso é antidevocional". Pensando desse modo nós continuamos tomando o Santo Nome, e onde quer que haja alguma explicação sendo dada sobre a escola devocional, nós tentaremos evitá-la. Mas isso não é sempre o melhor, porque ouvindo da fonte apropriada nós conseguimos o tipo de conhecimento que nos dá ímpeto para continuar no nosso sadhana.


Resposta de Srila Bhakti Raksak Sridhar Dev-Goswami Maharaj
 
 

 

Quais as escrituras dos comedores de carne?

  Os sastras dos yavanas, ou comedores de carne, não são escrituras eternas. São escrituras escritas recentemente, e às vezes contradizem-se  umas às outras. São três as escrituras do yavanas: o Antigo Testamento, o Novo Testamento e o Alcorão. A compilação delas tem uma história; não são eternas como o conhecimento védico. Portanto, embora tenham seus argumentos e razões, não são completas nem transcendentais. Em vista disso, atualmente, as pessoas avançadas em ciência e  filosofia consideram essas escrituras inaceitáveis  ou perdem a fé nelas, pois elas não podem responder adequadamente a seguidores inquisitivos.
   Ao questionarmos se Deus é limitado ou ilimitado, os sacerdotes cristãos dizem que Deus é ilimitado. Porém, ao perguntarmos por que o  Deus ilimitado teria apenas um filho, e não filhos ilimitados, eles não conseguem responder. Quando lhes perguntamos: "Sua Bíblia diz 'Não matarás', por que então, vocês matam tantos animais diariamente?" eles não conseguem responder. Alguns deles respondem imperfeitamente que os animais não tem alma.
 
Palavras de Srila Bhaktivedanta Swami Prabhupada
 

Pode-se comer carne segundo os Vedas?

  Nas escrituras védicas, há concessões para comedores de carne. Diz-se que, se alguém deseja comer carne, deve matar um bode perante a deusa Kali e então comer sua carne. Não se permite que os comedores de carne comprem no mercado ou matadouro. Não existem leis que autorizem matadouros regulares para satisfazer as línguas dos comedores de carne. Quanto a matança de vacas, é totalmente proibida. No Bg (18.44) há um preceito claro de que as vacas devem ser protegidas : "O dever dos vaisyas é produzir produtos agrícolas, comercializar e dar proteção às vacas".
 
Comentário de Srila Bhaktivedanta Swami Prabhupada
 

 

De que forma simples podemos adorar o Senhor?

 
 Narada Muni nos explica no Srimad-Bhagavatam 4.8.55:
 
   "Deve-se adorar o Senhor, oferecendo-Lhe água pura, guirlandas de flores puras, frutas, flores e legumes, que são disponíveis na floresta, ou colhendo gramíneas recém-brotadas, pequenos botões de flores ou até mesmo cascas de árvores, e, se possível, oferecendo-Lhe folhas de tulasi, que são muito queridas pela Suprema Personalidade de Deus."
 
  
 As folhas de tulasi são muito importantes para satisfazer o Senhor, de modo que, na medida do possível , deve ser feito um arranjo para plantar tulasi.
 

Conselho de Srila Bhaktivedanta Swami Prabhupada
 
 
 

Como devemos nos relacionar com as pessoas?

    De um modo geral, quando encontramos alguém mais qualificado que nós, ficamos com inveja dele; quando  encontramos alguém menos qualificado, zombamos dele; e quando encontramos alguém igual ficamos muito orgulhosos de nossas atividades. Essas são as causas de todas as atribulações  materiais. 
 
   O GRANDE SÁBIO  NARADA, PORTANTO, ACONSELHA QUE UM DEVOTO DEVE AGIR  COM PERFEIÇÃO. AO INVÉS DE INVEJAR ALGUÉM MAIS QUALIFICADO, ELE DEVE ANTES ALEGRAR-SE EM RECEBÊ-LO. AO INVÉS DE SER OPRESSIVO COM ALGUÉM MENOS QUALIFICADO, DEVE SER COMPASSIVO COM ELE SIMPLESMENTE PARA ELEVÁ-LO AO NÍVEL ADEQUADO. E AO SE ENCONTRAR COM UM IGUAL, AO INVÉS DE ORGULHAR-SE DE SUAS PRÓPRIAS ATIVIDADES DIANTE DELE, DEVE TRATÁ-LO COMO UM AMIGO.
  
 Deve-se também ter compaixão das pessoas em geral, que estão sofrendo por estarem esquecidas de Krsna. Essas linhas de conduta farão as pessoas felizes neste mundo material.
 

Palavras de Srila Bhaktivedanta Swami Prabhupada
 
 

Qual a relação do Senhor Shiva com Advaita Prabhu?

     Diz-se que, durante o advento do Senhor Caitanya, Sadasiva apareceu como Advaita Prabhu, e a principal preocupação de Advaita Prabhu era de elevar as condicionadas almas caídas à plataforma de serviço devocional ao Senhor Krsna. Uma vez que as pessoas se dedicavam a atividades inúteis que perpetuariam sua existência material, o Senhor Siva, sob a forma de Advaita, apelou ao Senhor Supremo que aparecesse como Senhor Caitanya para libertar essa almas iludidas. Na verdade, o Senhor Caitanya apareceu a pedido do Senhor Advaita. De modo semelhante, o Senhor Siva tem uma sampradaya, a Rudra-sampradaya. Ele vive prensando na salvação das almas caídas, como foi revelado pelo Senhor Advaita Prabhu.
 
 

 

 
Explicação de Srila Bhaktivedanta Swami Prabhupada
 
 

Por que o Senhor ou o mundo espiritual não podem ser observados pela percepção direta e pela lógica?

   
    A evidência pela percepção direta (pratyaksha) é meramente conhecimento acumulado pelas impressões sensoriais materiais e a lógica (anumana) pode esboçar conclusões apenas até o quanto permitam essas mesmas fontes de observação material. Essas duas formas de evidência só podem dar conhecimento do mundo material e nada mais.

Palavras de Srila Bhaktivinoda Thakur

 

Quem é Ganga?

     
    Ganga é uma sakhi, uma Gopi como Lalita, Visakha, Srimati Radhika, Candravali e outras como elas.  Um dia Sri Krsna estava sentado com Ganga-sakhi, e eles estavam envolvidos em conversas agradáveis. Entretanto Srimati Radhika vendo-os pensou: "Oh, Krsna está reunido com Ganga-sakhi?"

    O Senhor Krishna ficou envergonhado e Ganga também. Esta Ganga envergonhada tornou-se água, e uma gota de água se tornou o Rio Viraja (Oceano Causal) - a linha divisória entre Vaikuntha e este mundo material. Karanodakasayi Visnu está dormindo nesse oceano, e Laksmi-devi está a massageá-lo.
    Na Terra, o rio Ganges é chamado Bhagirathi, no céu, Mandakini, e em Patalaloka,   Bhogavati.
 
   Essa história encontra-se  no Brahma-vaivarta Purana.

Algumas pessoas dizem: "Esse universo é falso — ele é feito só de maya ". Isso é verdade?

    
    Esse universo é real, mas é temporário e perecível. As duas características "real" e "eterno" têm significados separados. O universo material não é eterno, porque ele acabará sendo destruído pela vontade do Senhor. Mas ele é uma realidade concreta, não é falso. Sempre que as escrituras mencionam que esse universo é falso, isso deve ser compreendido como uma declaração que meramente se refere à sua temporalidade, à sua natureza perecível.
 
Explicação de Srila Bhaktivinoda Thakur

 

Essas verdades sobre Sri Krsna-tattva (a verdade sobre o Senhor), são princípios religiosos do vaisnava-dharma. Então o que pode ser dito para as pessoas envolvidas com outros tipos de religiosidade?

     
 
      Religiões diferentes têm instruções diferentes sobre a adoração tanto de Isvara (o Senhor Supremo), quanto do Paramatma (a superalma localizada no coração) quanto do Brahman (o Seu aspecto impessoal todo-penetrante) — mas todos esses três tipos de religiosidade acabam levando na direção de Krsna-tattva.  Depois que as jivas passam pelos diversos estágios de desenvolvimento espiritual, no fim elas acabam alcançando Krsna-bhakti. Mesmo que elas não finalizem os vários caminhos religiosos, ainda assim Krsna-bhakti está acessível para elas. A consciência da natureza suprema de Sri Krsna-tattva é o conhecimento definitivo inerente a todas as entidades vivas.

Resposta de   Srila Bhaktivinoda Thakur de seu livro Vaisnava Siddhanta Mala
 

Como um vaisnava deve orar a Deus?

   
      Deus não é um comerciante comum.  Se estou doente, não devo simplesmente pedir:  ”Ó Deus, cure minha doença!” e se sou pobre não devo apenas orar: “Ó Deus, dê-me dinheiro!”. Essa conexão mercenária não é muito feliz.  Sem dúvida, tem algum significado porque, ao menos, inclui o pensamento de existir algum poder sobrenatural.  No entanto, o melhor é aproximar-se de Deus sem esperar dEle algo mundano.  Devemos desejar Deus, que é a fonte de toda opulência — e não devemos desejar qualquer outra coisa que possamos considerar valiosa. Devemos depender dEle — “Ó Senhor, dê-me o que é bom, eu sou um ser imperfeito, eu não sei o que é bom e o que é mal, por favor, forneça-me o que Você considerar ser bom para mim”.  Essa é uma melhora na oração a Ele.  No que se refere a benefícios mundanos, o melhor é se aceitar a condição de serviço imaculado para O mais elevado: “Eu quero Você, meu Senhor, e nada mais”. 

Palavras de SRI SRIMAD BHAKTI RAKSAKA SRIDHAR DEVA-GOSWAMI MAHARAJ