Qual o número de voltas que deve ser cantado diariamente?

     Na época de Sri Chaitanya , era Seu desejo que todos cantassem um mínimo de cem mil harinamas. Alguns devotos cantavam assim, mas a maioria não conseguia fazê-lo. Srila Saraswati Thakur também instruiu que seria muito bom cantar cem mil harinamas diariamente, mas que um mínimo de dezesseis rondas (voltas) deveria ser cantado. Entretanto, quando a Missão Gaudiya se expandiu por toda a Índia e chegaram discípulos de todas as partes do país, foi também sua consideração que todos deveriam cantar um  mínimo absoluto de voltas por dia.
    Srila  Swami Prabhupada percebeu tudo a respeito do Ocidente e, vendo as minúcias da natureza de sua devoção, deu a orientação de que: "Todos devem cantar dezesseis rondas por dia". Entretanto , todos  não conseguem seguir isso, portanto estão quebrando sua promessa ao Gurudeva.
    Srila Guru Maharaj (Sridhar) considerou a questão e expressou que: "Devemos cantar o mahamantra Hare Krsna com total concentraçao num mínimo de quatro rondas caso não seja possível  cantar dezesseis rondas ou mais", seguindo a orientação mínima de Gurudeva, e deu muito mais importância ao seva - ou  a servir ao Senhor através da satisfação de Sri Guru e dos Vaisnavas. Quando Gurudeva dá iniciação harinama, nesse momento o discípulo promete: "Sim, eu cantarei um tal número de rondas específico (seja, quatro, dezesseis, sessenta e quatro, etc)", mas, ao falhar em manter seu voto, isso se converterá em ofensa ao Guru.
 
Palavras de Srila Bhakti Sundar Govinda Dev-Goswami Maharaj

 


Qual a importância do livro Prapanna-Jivanamrtam de Srila Sridhar Maharaj?

     È um livro valioso e nele encontramos tudo. Ao lerem minuciosamente, deverão situar-se no plano da dedicação. É dividido em seis tipos de sharanagati (rendição).
     Srila Swamii Maharaj  (nosso Prabhupada) disse para sua irmã: "Este Jivanamrtam  é um livro muito bom e importante. Você tem dinheiro, portanto, por favor, gaste algum desse dinheiro na publicação desse Prapanna-Jivanamrtam". Seu nome era Srimati Bhavini Devi Dasi. Nós a chamávamos de Pishima ou "Mãe de Madan", e foi ela quem deu todo o dinheiro para a  primeira publicação.
 
Palavras de Srila BhaktiSundar Govinda Dev-Goswami Maharaj
 

O que nos ensinou Sri Caitanya?

 

  
  Sri Chaitanya Mahaprabhu ensinou que, "A verdadeira identidade da alma é de ser uma serva eterna de Krishna. Ela é a Potência marginal de Krishna, presente simultaneamente diferenciada e não diferenciada de Krishna."













Palavras de Srila Bhakti Sundar Govinda Dev-Goswami Maharaj
 

Como viver a verdadeira religião?

    Misturar-se com Maya para nosso prazer dos sentidos e convidar a Deus em nosso coração é hipocrisia grosseira. Com grande força, Srila Bhaktivinod Thakur e Srila Bhakti Siddhanta Saraswati Thakur fizeram tudo em seu poder para esmagar tal hipocrisia.  Seu primeiro trabalho foi de pregar o Nome. Na Bengala, tantos cantavam o Nome, mas em festas para fumar haxixe. Alguns ficavam cantando horas sem parar. Não havia escassez de tal tipo de Harinama em Bengala, mas a qualificação de uma pureza verdadeira estava ausente.
    A assim chamada "religião" que se vê no mundo material é demoníaca ou assura-varnasrama.Tudo aquilo que passa neste mundo em nome de religião é falso.
    Você é uma alma-jiva. Krishna é como o grande sol, e você é como um raio desse sol. O raio de sol deve estar sempre apegado (conectado) ao grande sol. Essa é a sua natureza. Krishna é como um grande imã exaltado, e você é como ferro. Portanto, Ele é chamado de Krishna –"Krs" significa atrair e "na" significa dar júbilo. Ele nos atrai e nos concede êxtase.
 
Palavras de Srila Bhakti Sundar Govinda Dev-Goswami Maharaj

 

A importância de Madhurya-rasa .


     Madhurya-rasa (“relacionamento como amante conjugal”) primeiro cintilou em Vraja. É extremamente raro essa rasa entrar nos corações das almas condicionadas, porque essa rasa tende a permanecer com as entidades vivas puras, qualificadas para desfrutarem dela. Essa rasa confidencial foi pregada por Navadvipa-candra, Sri Saci-kumara e Seus seguidores. Até hoje essa rasa ainda não saiu da Índia. Há pouco tempo atrás um erudito inglês chamado Newman realizou algo sobre essa rasa e escreveu um livro sobre ela. As pessoas da Europa e da América não estavam satisfeitas com a vatsalya-rasa (“relacionamento com algum grau de parentesco, como pai ou mãe”) misturada com opulência pregada por Jesus Cristo, que era um pregador dos princípios religiosos judeus.  Espero que pela graça do Senhor, em bem pouco tempo eles se sintam sedentos em beber o néctar intoxicante de madhurya-rasa. Verificamos que toda a rasa que surge na Índia acaba se dispersando pelo mundo. Assim como o sol primeiro nasce na Índia e depois vai espalhando a sua luz para os países do Ocidente, o brilho inigualável da verdade espiritual primeiro surge na Índia e gradualmente se espalha pelos países ocidentais.


Fonte : Sri Krsna Samhita por Srila Bhaktivinoda Thakura

Como nos livrarmos de distúrbios mentais?

  Se alguém quer livrar-se de distúrbios mentais, tem de adorar Aniruddha. Para este propósito, a literatura védica também recomenda a adoração ao planeta Lua.
   A mente da entidade viva é conhecida pelo nome de Senhor Aniruddha, o supremo governador dos sentidos. Ele possui uma forma preto-azulada semelhante à flor de lótus que cresce no outono. Os yogis o encontram tardiamente. Bhag. 3.26.28.
   Afirma-se que Aniruddha tem quatro mãos, com a Sudarsana cakra, o búzio,  a maça e a flor de lótus. Há vinte e quatro formas de Visnu, cada uma com um nome diferente. Entre essas formas, Sankarshana, Aniruddha, Pradyumna e Vasudeva são muito bem descritas no Caitanya-caritamrta, onde se afirma que Aniruddha  é adorado pelos yogis. A meditação deve ser fixada na forma de Aniruddha. É meditando em Aniruddha que podemos livrar-nos da agitação de aceitar e rejeitar.

Explicação de  Srila Bhaktivedanta Swami Prabhupada
 

Por que temos medo da morte?

    O temor à morte que  sente a entidade viva deve-se ao seu falso ego, que a faz identificar-se com o corpo. Todos têm medo da morte.
    A matéria é a manifestaçao secundária do espírito, pois a matéria é produzida a partir do espírito. O corpo  é produto da alma espiritual. Quando alguém está plenamente convencido  de que não é  o corpo, não há possibilidade de temer  a morte, já que a alma espiritual não morre.
 
Explicação de Srila Bhaktivedanta Swami Prabhupada
 

Os vaisnavas adoram ídolos?

   Eles adoram diretamente o Senhor sob Sua encarnação arca. Arca refere-se à forma que podemos adorar em nossa condição atual. Na verdade, em nosso estado atual, não é possível ver Deus sob Sua forma espiritual, porque nossos olhos e sentidos  materiais não podem conceber uma forma espiritual. Não podemos sequer ver a forma espiritual da alma individual.  Quando um homem morre, não podemos ver como  a forma espiritual deixa o corpo. Este é o defeito de nossos sentidos materiais . A fim de podermos vê-Lo com nossos sentidos materiais, a Suprema Personalidade de Deus aceita uma forma favorável chamada arca-vigraha. Esta arca-vigraha, às vezes chamada de encarnação arca, não é diferente dEle. Assim com a Suprema Personalidade de Deus aceita diversas encarnações, Ele assume formas feitas de matéria - barro, madeira, metais e joias.
 

Palavras de  Srila Bhaktivedanta Swami Prabhupada
 




Quais as cinco classes de liberação descritas nas escrituras?


1. Ser promovido ao mesmo planeta que Deus(Vaikuntha)
2.Associar-se pessoalmente com o Senhor Supremo
3.Obter a mesma opulência que o Senhor
4.Conseguir as mesmas feições corporais que o Senhor Supremo
5.Tornar-se uno com a Suprema Personalidade de Deus, ou seja, abandonar a própria individualidade e fundir-se no Espírito Supremo.
   O devoto puro não deseja nenhuma das cinco liberações. Ele especialmente rejeita como infernal a ideia de tornar-se uno com o Senhor.
 
  Srila Prabodhananda Sarasvati, grande devoto do Senhor Caitanya, disse: "A felicidade de tornar-se uno com o Senhor Supremo, à qual aspiram os Mayavadis, é considerada infernal".

É possível viver sem apego?

    Apesar da afirmativa de que se deve abandonar o apego, a ausência de desejos é impossível para a entidade viva. Por sua própria constituição, a entidade viva tende a apegar-se a algo. Observamos que se alguém não tem objeto de apego, se não tem filhos, então transfere seu apego aos cães e gatos. Isto indica que não se pode acabar com a propensão ao apego: ela tem de ser utilizada para o melhor propósito. Nosso apego as coisas materiais perpetua nosso estado condicionado, porém, o mesmo apego, quando transferido à Suprema Personalidade de Deus ou a Seu devoto, é a fonte de liberação.
 
Palavras de Srila Bhaktivedanta Swami Prabhupada


 


A origem do nome “Bhaktivedanta Swami”.


   Quando Srila Prabhupada decidiu tomar sannyasa, é claro que ele procurou por seu grande amigo e siksha-guru Srila Sridhar Maharaj e pediu a ele que lhe desse iniciação na ordem de sannyasa. Srila Sridhar Maharaj disse a ele que não poderia fazer isso devido a seu relacionamento de amizade de longa data com a esposa e os filhos de Prabhupada. Ele então sugeriu a Srila Prabhupada que tomasse iniciação do irmão espiritual de ambos, Srila Keshava Maharaja, visto que ele era discípulo de Srila Bhaktisidhanta Maharaj e, ao fazer isso, Prabhupada receberia o mesmo mantram.

   Já 1941, em Katwa, o lugar onde Caitanya Mahaprabhu aceitou sannayasa, formalmente Vinoda-bihari (Srila Kesava Maharaja) aceitou a ordem de renúncia de Srila Bhakti Rakshak Sridhara Goswami Maharja.
    Nosso Srila Prabhupada então pediu a Srila Sridhar Maharaj que escolhesse o título de sannyasi para ele. Srila Sridhar Maharaj considerou que “Bhaktivedanta Swami” seria o nome apropriado  para ele e Srila Keshava Maharaj deu esse nome a Prabhupada em sua iniciação de sannyasi. Bhakti significa "devoção" e vedanta "a meta do conhecimento".


É errado orar ao Senhor pedindo que nos ajude em situações em que estamos inseridos?

    Orar é a inclinação natural de um devoto. Vemos que quando os residentes de Vrndavana eram colocados em perigo ou dificuldades, a reação imediata deles é chamar por Krsna. É claro que orar para o Senhor Supremo visando arranjos materiais não é a posição mais inteligente ou elevada. É muito bom que se tome refúgio em Krsna mesmo em assuntos ordinários, rotineiros e em dificuldade. O fato qualificatório é que façamos em um humor de rendição, buscando o favor do Senhor de acordo com a vontade dEle, e não com a nossa. Srila Prabhupada nos ensinou como rogar ao Senhor : "Meu querido Senhor Krsna, se Você assim desejar , bondosamente satisfaça esta oração caso isto vá aprimorar meu apego e meu serviço a Você".

A Deidade é o próprio Krsna ou Krsna reside na Deidade?

     Srila Prabhupada realmente ensinou que a Deidade não é diferente do próprio Krsna. Algumas vezes dizemos que o Senhor bondosamente concorda em vir e "residir" na forma da Deidade, mas uma vez que Ele tenha Se manifestado dessa maneira, Ele não é diferente da arca-vigraha. Há inclusive  procedimento específico durante a  cerimônia de instalação da Deidade que visa destruir os elementos materiais (ou a influêcia deles) que são usados na criação da murti afim de que a Deidade seja investida com toda a potência espiritual do Senhor, manifestando assim Sua forma espiritual.
    Quando a Deidade não é apropriadamente adorada, Ela pode retirar Sua misericórdia e Se tornar inacessível. Há muitos exemplos na história nos quais uma Deidade antiga, negligenciada e esquecida por um período de muitos anos ou mesmo séculos, revela-Se novamente perante um devoto elevado pedindo para novamente ser adorada.
 
Explicação de Srila Romapada Swami, discípulo de Srila Bhaktivendanta Swami Prabhupada