Como TULASI veio ao mundo?


      A história de Tulasi devi está no Brahma-vaivarta Purana.
Vrinda Devi

    Tulasi é uma gopi (Vṛndā-devī). Ela foi amaldiçoada por Radha, pois a mesma a encontrou entrelaçada com Govinda, e determinou que ela tivesse um nascimento humano.
Seus pais, o rei Dharmadhvaja e Madhavi, ficaram felizes com seu nascimento, já que ela é uma encarnação parcial de Lakshimi.
    Assim que ela nasceu vai imediatamente para os Himalaias para praticar austeridades durante milhares de anos para obter Narayana (expansão plenária) como seu esposo, por ordem de Govinda.
  Sudama (que é uma parte integrante de Krishna e Seu amigo) também foi amaldiçoado por Radha e está na Terra no meio de uma família de demônios sendo  chamando de  Sankachuda, e quer se casar com Tulasi. Ela o amaldiçoou porque quando ela repreendeu muito severamente Krishna, Sudama ficou muito irritado e rechaçou Radha com muita ira. Então ela disse que ele nasceria do ventre de uma donava (demônia).
   O asura Damba praticava austeridade para ter um filho. Sua esposa , através do Senhor Vishnu teve Sankachuda (Sudama) como seu filho. Também Sankachuda fez muitas penitências. Então o Senhor Brahma lhe deu o amuleto de Krishna, o sarva-mandala-maya e prometeu a ele que ninguém iria derrotá-lo enquanto sua esposa se mantivesse fiel e ele possuísse o amuleto.
   Quando Tulasi e Sankachuda se conhecem, Brahma aparece e diz que devem fazer um casamento gandharva (junta-se e troca-se guirlandas), e assim o fazem. Sankachuda torna-se muito poderoso e conquista até os planetas dos semideuses, que reclamam com o Senhor Vishnu dos seus atos.
   Vishnu se disfarça de brahmana e pede o amuleto a Sankachuda, que lhe deu sem vacilar. Depois o Senhor se transforma em Sankachuda e vai ter com Tulasi, que dessa maneira perde sua castidade. Em seguida o Senhor Shiva o mata (Sankachuda) com seu tridente e joga seus ossos no mar, que se converteram em conchas (sankha).
  
Tulasi abandona o corpo e o mesmo se converte no rio Gandaki (Nepal). Cada um de seus cabelos se transforma em planta (Tulasi) (Ocimum sanctum ou Ocimum tenuiflorum) .
   Devido a maldição de Tulasi por ter perdido sua castidade (ela amaldiçoa o Senhor Vhisnu a se transformar em pedra sem saber que era Ele), o Senhor Vishnu se transformou em pedra às margens do rio Gandaki, na montanha Anapurna. Essas pedras se separaram da montanha e caíram no rio. São as shalagrama-shilas.

COMO SÃO AS FLAUTAS DE KRISHNA?


 



    Krsna usa três tipos de flautas. Uma se chama venu, a outra se chama murali, e a terceira, vamshi.A venu é bem pequena, com 15 cm de comprimento e seis orifícios de sopro. A murali tem cerca de 20 cm, com um buraco na extremidade e quatro orifícios no corpo da flauta. Este tipo de flauta produz um som muito encantador. A vamshi tem cerca de 37,5 cm, com nove orifícios. A vamshi sanmohini um pouco maior é feita de jóias. A vamshi akarshini maior ainda, é feita de ouro. A maior de todas ,a vamshi anandini ,é muito agradável para os vaqueirinhos e é tecnicamente chamada de vamshuli.
  Às vezes, estas flautas são incrustadas com jóias.Às vezes, são feitas de mármore, de ouro, de jóias e de bambu oco.

QUAL A DIFERENÇA DE GOKULA PARA GOLOKA?







Vrndavana é o lugar transcendental onde Krsna goza de Seus passatempos eternos como um menino, sendo considerado a esfera mais elevada em toda a existência. Quando este lugar se exibe no mundo material, é chamado de Gokula, e no mundo espiritual é chamado Goloka ou Goloka Vrndavana.


     Sri Rupa Goswami conclui que os devotos que se sentem atraídos pelos passatempos do Senhor em Gokula, ou Vrndavana, são os devotos mais elevados.



     Não há diferença entre Goloka e Gokula, a não ser pelo fato de Goloka estar situada na região mais elevada do plano espiritual; esse mesmo local dos passatempos  de Krsna manifesta-se neste mundo como Gokula. Somente a pessoa que por grande  fortuna teve seu relacionamento com o mundano completamente dissipado poderá ver Goloka em Gokula e Gokula em Goloka. (Srila Bhaktivinoda Thakur).

Origem da pena de pavão de Krishna

   Sanatana Goswami, comentando o verso do Bhag.10.21.10,diz que Krsna tocou mrdu-mandra em sua flauta. Mrdu significa doçura e mandra é o som produzido pelo trovão. O pavão tem por natureza dançar enlouquecido assim que vê o céu ficar escuro e trovoar. Vendo o esplendor natural de Giriraja Govardhana, Ele tocou Sua flauta suavemente. Ao ouvirem essa vibração profunda, os pavões ficaram loucos, dançando no ritmo da flauta com o leque de suas caudas completamente aberto. Todos os animais, aves e insetos de Vrndavana se reuniram para ver a cena.
   Os pavões pensaram: "Ele está tocando uma melodia maravilhosa e ao dançarmos com ela, sentimos granda ananda (bem aventurança), mas nada temos para oferecer-Lhe em troca". Um desses pavões pensou: " Não tenho nada de valor para Lhe dar. Sou apenas uma ave, mas as penas da minha cauda são valiosas! Elas são tão atrativas com as suas cores, então porque não oferecer-Lhe uma delas?". Desta maneira, o pavão deixou cair uma de suas penas.
    Ao vê-la Krsna pensou: " Esse pavão é muito amável; apreciou a Minha apresentação tocando flauta e Me ofereceu uma de suas penas". Krsna pegou a pena do chão e colocou em sua cabeça, pensando: "Assim com o a flauta Me é muito querida, agora essa será Minha pena de estimação. Para onde for em Vraja, nunca abandonarei a flauta ou essa pena de pavão".