Por que não comer alho e cebola?


   

A seguinte história foi contada por Sripad Madhava Maharaja:
    Na Satya-yuga, os sábios executavam sacrifícios gomedha (vaca) e asvamedha (cavalo) para o bem-estar de todo o universo. Uma vaca e um cavalo velhos eram sacrificados sendo cortados em pedaços e colocados no fogo. Posteriormente, os rsis (sábios) proferiam mantras e o mesmo animal voltava à vida em um belo e jovem corpo.
   Certa vez, a esposa grávida de um sábio que estava prestes a executar o sacrifício gomedha teve um forte desejo de comer. Ela ouviu que se durante a gravidez a pessoa tivesse desejo de comer e tal desejo não fosse atendido, o bebê recém-nascido teria saliva saindo de sua boca constantemente. Isso seria desagradável para a mãe e para a criança.
   A esposa do sábio teve um forte anseio por comer carne, e secretamente pegou um pedaço de carne do corpo da vaca oferecida em sacrifício. Ela escondeu esse pedaço e planejava comer rapidamente. Mais tarde, quando o sábio estava terminando o sacrifício e proferindo os mantras para que a vaca voltasse à vida, notou que faltava um pequeno pedaço no lado esquerdo. Ele ficou surpreso porque isso nunca havia acontecido. Em meditação, o sábio realizou que sua esposa havia pegado um pedaço de carne durante o sacrifício.
   Devido ao efeito dos mantras proferidos pelo sábio, havia vida no pequeno pedaço de carne. A esposa entendeu o que aconteceu e rapidamente o jogou para longe. Logo em seguida brotaram lentilhas vermelhas do sangue da carne, alhos brotaram dos ossos e cebolas e cenouras brotaram da carne. Por isso, esses alimentos nunca são consumidos por um Vaisnava. Eles são alimentos no modo da ignorância.

[Um devoto pode perguntar, “Por que nosso Prabhupada, Srila Bhaktivedanta Swami Maharaja, permitiu que cenouras fossem consumidas se elas são tão ruins?". A resposta foi gentilmente dada por ele mesmo, em 1969, em Boston. Ele disse:” Se eu contasse a vocês todas as regras e regulações agora, vocês desmaiariam. Então por agora, sigam as regras que eu dei e façam um balanço cantando Hare Krsna”. Ele também frequentemente dizia que estava seguindo a linha de direção dada por seu Guru Maharaja; ou seja, induziu os Ocidentais a primeiro cantar Hare Krsna, e à medida em que eles se tornassem mais e mais estabelecidos nessa prática, as regras e regulações viriam gradualmente.]

[Os cientistas americanos descobriram em seus laboratórios que há 21 tipos diferentes de venenos na cebola e no alho; então esses não são alimentos inofensivos.]

SURGIMENTO DO RADHA-KUNDA

Radha e Syama kunda


   O lago de Radha surge em um local onde Krishna luta com o demônio Arista, que aparece disfarçado de touro e Ele o mata.
   Assim que chega próximo de Radha, ela diz que ele deve tomar banho em todos os locais sagrados, para se purificar.
   Usando o calcanhar ele faz um buraco e pediu que as águas de todos os locais sagrados comparecessem ali, surgindo o Shyama-Kunda. Depois se apresenta todo orgulhoso na presença de Radha. Então ela combina com as gopis de fazer um lago mais bonito e passam a escavar com suas pulseiras. Todos os locais sagrados vieram saudá-la, respondendo é claro, a um sinal de Krishna. Então eles quebraram as paredes do Shyama-Kunda para que as águas fluíssem para o RADHA-KUNDA.
  Com o passar dos anos os lagos se transformaram num pântano. Raghunata Das Goswami orou para que as árvores lhe indicassem o local correto dos kundas (lagos) e foi atendido. Depois para a reconstrução dos mesmos, foi ajudado por um senhor muito rico. Alguns mahatmas construíram suas cabanas próximas do Radha-Kunda e o local acabou se tornando uma vila. O Raha-Kunda fica dentro da floresta de Vrindavana (estado de Uttar Pradesh/Índia).

 O Radha Kunda é conhecido como o Prema Svarupa, líquido de Sri Radha, ou seja, a forma líquida do amor mais elevado à Krsna.

A QUEM A.C. BHAKTIVEDANTA SWAMI PRABHUPADA DEDICA O SEU “BHAGAVAD-GITA COMO ELE É”?

  A SRIMAD BALADEVA VIDYABHUSHANA, que foi um devoto puro do Senhor, que viveu no inicio do século 18, e entrou em nytia lila em 1768. Ele apareceu num local chamado Baleshvara, um vilarejo próximo a Remuna (Orissa), sendo filho de um vaishya agricultor. Numa idade muito jovem, dominava sânscrito, gramática, poesia e lógica, e tomou iniciação e sannyasa na sucessão discipular de Madhvacarya.
  Em 1706, Srila Visvanatha Cakravarti Thakura o mandou para Galta (perto de Jaipur) pra provar a autencidade do movimento de Sri Caitanya Mahaprabhu.Os Ramanandis locais (um ramo da Ramanuja Sampradya), propagavam que os Gaudya Vaisnavas, não tendo comentário sobre o Vedanta-sutra, não eram uma linha discipular fidedigna e que portanto, não tinham o direito de adorar Govindaji ou qualquer uma das outras deidades de Vrindavana.
  Ele, Srimad Baladeva, argumentou que Sri Caitanya Mahaprabhu, o fundador da Gaudya Sampradya, havia estabelecido que o Srimad-Bhagavatam era o comentário mais importante sobre o Vedanta. Mas os represantantes da Ramanuja continuaram dizendo: ”Eles não tem um comentário, e admitem isso!”.Não tendo outro recurso, Srila Baladeva Vidyabhushana prometeu mostrar a eles o comentário da Gaudya sobre o Vedanta dentro de poucos dias.
  Srila Baladeva Vidyabhushana foi ao templo de Sri Govinda e após oferecer suas reverências, relatou o que havia se passado no palácio. Naquela noite, em sonho, Sri Govinda disse para ele: ”Você pode compor um comentário. Este comentário será pessoalmente orientado por Mim. Ninguém será capaz de encontrar falhas n’Ele”. Tendo esta visão no seu sonho, Vidyabhushana ficou muito feliz, e seu coração se encheu de força; então meditou nos pés de Sri Govinda. Imediatamente iniciou a escrever o comentário. Dentro de poucos dias, ele terminou a tarefa. Este comentário ficou conhecido como GOVINDA BHASHYA sobre o Vedanta.
  Quando ele apresentou o comentário todos ficaram sem fala e a Gaudya extremamente feliz. Nesta época os panditas deram o nome para Srimad Baladeva de “Vidyabhushana”, aquele cujo ornamento é o conhecimento, em honra da sua grande erudição.

O QUE É O BHAGAVAD-GITA ou GITOPANISHAD?




Significado: a Canção do Senhor.

Seu dia: 11º dia de dezembro.

Seu autor: Krishna-Dvaipayana Vyasa ou Vyasadeva ou Vedavyasa.

Obs: Krishna diz que é Vyasadeva no Bg.15.15.

Aparece originalmente como um episódio, o Bhisma Parva do Mahabharata, um épico da história do mundo antigo. O Bg. é formado por 18 capítulos e 700 versos.

Cenário dessa epopéia: O Bg. é falado antes de uma batalha, a de Kurukshetra. De um lado temos os Pandavas (descendentes de Pandu) e do outro, os Kauravas (descendentes de Dhritarastra). Ambos descendem da dinastia Kuru, do rei Bharata (Índia), do qual provém o nome Mahabharata.

Motivo da batalha: o reino.

Quem falou o Gitopanishad: o Senhor Krishna para Arjuna.

Quem é Arjuna: primo de Krishna. É filho de Pandu e de Kunti. Sua quadriga foi um presente de Agni (o deus do fogo), que não podia ser queimada ou destruída. Tinha no emblema de sua bandeira, Hanuman. Seu arco: Gandiva. Ele é um kshatrya (guerreiro).

Tipo de literatura: é um Upanishad (tratado filosófico que aparece nos Vedas).

Do que se trata: a posição constitucional dos seres vivos, a natureza material, o tempo, as atividades e a ciência de Deus.

Objetivo: livrar a humanidade da ignorância própria da existência material.

O melhor de todos os versos:

“Pensa sempre em Mim e converte-te em Meu devoto. Adora-Me e oferece-Me tuas homenagens. Assim, virás a Mim impreterivelmente. Eu te prometo isto porque és Meu amigo muito querido”. ( Bg. 18.65)

Obs-O Bhagavad-gita é chamado Upanisad (Gita Upanisad), porque ele é vani (instruções) de Bhagavan; por isso, o Gita é Veda. (Jaiva-Dharama ,de Srila Bhaktivinoda Thakur)

Srila Govinda Maharaj : a Manifestação de um Vaisnava


Srila Bhakti Sundar Govinda Dev-Goswami Maharaj

“... ele (Govinda Maharaj) é naturalmente dotado de algum tipo de poder sobrenatural, ainda que aparentemente ele ande por aqui como uma pessoa comum”.(Srila Sridhar Maharaj).








INFÂNCIA

            Em 17 de dezembro de 1929, no meio de uma família vaisnava, aparece neste mundo o menino Dharmadas Chatterjee que seria conhecido como Srila Govinda Maharaj, no vilarejo rural de Brahmampara, depois conhecido como Bamumpara, distrito de Burdwan, na Bengala Ocidental, apenas nove quilômetros de Sripad Hapanya – o local de aparecimento de seu mestre Srila Guru Maharaj (Srila Sridhara Maharaj). Seus pais chamavam-se Sri Nitai Pada Das Ahikari e Srimati Tarangini Devi. Dhananjaya e Visvanath são seus irmãos.
           Seu pai era um guru conhecido dentro da tradição religiosa conhecida como a vamsa Nityananda, ou a linhagem da família de Nityananda Prabhu. Sri Nitai Pada Dasadhikari era um descendente da linhagem preceptoral de Virabhadra Goswami, o filho de Nityananda Prabhu. Sua família adorou as Deidades original da Virabhadra Goswami conhecida como Radha-Gopinathajiu na aldeia de Bamanpara por mais de 400 anos.
          Ele nasceu por uma benção especial do Senhor Shiva aos pais de Gurudeva que mandou seu próprio filho nascer como filho deles. Srila Govinda Maharaj comenta: ”Ainda hoje, sinto sempre a proteção do Senhor Shiva, sinto que ele está sempre cuidando de seu próprio filho. Eu nasci por uma benção do Senhor Shiva e, devido a essa oportunidade especial, sou uma pessoa destemida”.  Quando ele nasceu havia vários tigres e cobras no local o que indica um nascimento auspicioso. Srila Sridhar Maharaj disse que foi porque acabava de nascer um filho do Senhor Siva.
           Seu pai era um cantor profissional muito famoso de canções vaisnavas, de kirtans, etc.
           Dharma Das estudou na escola da vila e depois na escola de Putsuri. Em virtude de seu tio maternal e família viverem em Rangpur, seus pais foram também viver lá. Mais tarde quando seu pai falece, ele e sua família retornam a Bamunpara. A responsabilidade de Dharma Das (agora com quatorze anos) pela família torna-se premente e, portanto era necessário adquirir uma profissão. Começa sua vida trabalhando em dois pequenos hospitais e jogando bola nas horas livres com amigos e lendo. Lia novelas, Mahabharata, Ramayana, descrições dos ashrams, etc. Também atuava como cantor, pois sempre seguia o seu pai em suas excursões, mas começou a cantar apenas quando seu pai desapareceu deste mundo. Assim era sua rotina diária.

ENCONTRO COM VAISNAVAS E SRIDHAR MAHARAJ

        Naquele tempo chegou um grupo de quatro ou cinco sadhus do Sri Chaitanya Saraswat Math na região. Eles faziam kirtans e davam palestras sobre o Srimad Bhagavatam. Srila Govinda Maharaj (Gurudeva) se sentiu muito atraído por eles e no dia seguinte ele retornou e pediu para tocar mrdanga, deixando-os impressionados pela sua habilidade.
        Ate então ele nunca tinha se misturado com sadhus, mas sentiu a força de seu afeto e o apego a eles se manifestou. Ele perguntou se o levariam com eles e eles perguntaram: “você viria conosco?” E ele respondeu: “sim”. Depois ele ficou perturbado com a resposta afirmativa, pois como ele iria abandonar seus compromissos?
         Ele então teve um plano. Caso os devotos lembrassem de sua promessa ele diria que iria só se fosse naquele dia, mas a resposta foi inesperada: ”Muito bom. Hoje à noite mesmo levaremos você!”.E naquela noite foram.
         Ao ver a construção do ashram ficou decepcionado. Era pequeno e simples. Ao entrar no ashram com Jayadwaita Prabhu (discipulo de Srila Bhaktisiddhanta que vivia com Srila Guru Maharaj), ele viu Srila Sridhar Maharaj cantando em suas contas. Ambos prestaram reverências e Srila Guru Maharaj perguntou: "Onde você encontrou este menino?". Jayadwaita explicou toda a história e Srila Guru Maharaj comentou: "Ah, ele é um menino muito bom e muito inteligente”. Isso aconteceu no dia do aparecimento de Nrsinhadeva, em 1947. Srila Govinda Maharaj era um garoto de dezessete anos. Portanto, desde essa idade, Srila Govinda Maharaj teve com Srila Guru Maharaj sua associação e desfrutou de seu afeto e bênçãos de todo o coração.

ABENÇOADO POR SRILA SRIDHAR MAHARAJ

         Naquela época Srila Guru Maharaj procurava algum rapaz que pudesse vir a ser o futuro Guru de sua missão. Gurudeva ficou um pouquinho duvidoso se tinha feito a coisa certa, de se juntar ao Math, pois se sentia muito infeliz, mas, mais tarde, quando obteve a misericórdia de Srila Guru Maharaj, se tornou muito feliz.
         Srila Guru Maharaj testou Gurudeva e pediu que Srila Krishnadas Babaji Maharaj e outro de seus amigos que também o testassem e seus relatórios foram muito positivos. Cerca de um mês depois no Math de Sripad Jajavar Maharaj, Srila Guru Maharaj chegou a declarar que, se pudesse treinar este menino, ele se tornaria seu sucessor. Essa declaração produziu algum conflito com os brahmacharis do math e quebrando a regra de morar no mínimo seis meses no math para a iniciação, pouco depois, Srila Guru Maharahj, no dia de Ratha Yatra, em Puri Dham deu a sua primeira iniciação, chamando de Gaurendu Brahmachari, e lhe disse: "Quando você cantar, cante atentamente e não fique pensando sobre o tempo gasto".

VIVENDO COM SRILA GURU MAHARAJ

         Gurudeva se tornou servo pessoal de Srila Guru Maharaj e ele lhe ensinava muitas coisas, numa convivência de mais de 40 anos. Logo Srila Guru Maharaj fez os arranjos para que ele estudasse sânscrito com um pandita que vivia na cidade de Navadvipa e também o Vedanta. O Dr. Dolgobinda Shastri ensinou Harinamamrta vyakaran, kavya, alankar e chanda. Admirava-se da capacidade intelectual de Gurudeva, sua memória, lições sem erros, versos sânscritos de métricas, etc.
Um dia seu tio o encontrou caminhando nas ruas de Nabadwip. Srila Gurudeva lhe falou: "Estou morando no Sri Chaitanya Saraswat Math". No outro dia o tio e alguns panditas tentaram lhe seqüestrar do math e é claro, ele fez o impossível para não ir. Foi pedido que conversassem com Srila Guru Maharaj e o mesmo concordou que o levassem caso ele fosse derrotado num debate filosófico. O debate ocorreu durante três dias e Srila Guru Maharaj os venceu. Em seguida sua mãe também esteve no math.
        Naquela época moravam poucos devotos na missão e quando Srila Guru Maharaj declarou que “Este menino será meu sucessor”, todos começaram a brigar com Gurudeva. Srila Govinda Maharaj afirma: "Com o passar do tempo, Srila Guru Maharaj me oferecia cada vez mais de seu afeto. Na verdade, desde o inicio, eu ficava atado por seu afeto e não pela consciência de Krishna".
        Sua família tinha um arranjo de casamento desde a infância, e Srila Guru Maharaj mandou ele respeitar esse compromisso, assim Srila Gurudeva teve três filhas, mas Guru Maharaj sempre o chamava de Govinda Maharaj.
        Srila Guru Maharaj considerava inapropriado investigar a vida familiar e íntima do Guru. Ele recomendou que o discípulo deve se interessar pelo lado Guru, ou seja, “o lado inspirado do Vaisnava”.

ASSOCIAÇAO COM SRILA BHAKTIVEDANTA SWAMI PRABHUPADA

         Em Calcutá havia uma filial da missão na casa de Bhaktivedanta Swami Maharaj, na rua Sitakanta Banerjee lane, número 7. Ele tinha dado dois quartos a Guru Maharaj, no segundo andar, para sua pregação. Guru Maharaj mandara que ele fosse estudar o Bhagavad-Gita com Srila Prabhupada, e que fosse o primeiro distribuidor de sua revista “Back to Godhead”. Esta convivência por cerca de sete anos, entre esses grandes vaisnavas, levou Srila Prabhupada a dizer que “Srila Sridhar Maharaj é meu siksa-guru” e Srila Govinda Maharaj “o meu mais amado filho”.
         Srila Govinda Maharaj relata: “Quando Swamiji Maharaj voltou para a Índia, ninguém conseguia acreditar no que ele tinha feito e, para tristeza nossa ninguém queria recepcioná-lo. Assim, Swamiji Maharaj me escreveu:” Govinda Maharaj, eu sei que você não tem dinheiro, mas será que você pode me dar abrigo em seu Math?”. Eu perguntei a Guru Maharaj e ele disse: "O quê? Ninguém está entusiasmado em recebê-lo? Escreva para ele e diga-lhe que é sempre bem vindo aqui, e que nós tentaremos oferecer-lhe a melhor recepção de que somos capazes ". Eu fui recebê-lo na estação de trem com sankirtan e o trouxe, junto com seus dois discípulos (Achyutananda e Ramanuja) para o nosso math, onde ficaram por um mês. Foi a minha boa fortuna que eu pude organizar uma recepção digna”.
          Srila Guru Maharaj disse que: "Srila Swami Maharaj é um saktiavesa-avatara”.

O MOMENTO DE TOMAR SANNYASA

         Em 16 de novembro de 1985, Srila Sridhar Maharaj conferiu a ordem de sannyasa a Srila Govinda Maharaj. Quando Govinda Mahraj ficou sabendo que Srila Sridhar Maharaj o havia  escolhido para ser seu sucessor na  Sri Caitanya Sarasvati Math, ele falou ao seu guruji: " Guruji, você me escolheu, mas um astrólogo leu a minha mão e disse que eu não tenho muito tempo de vida, então acho melhor você escolher outro". Ouvindo isto nitya Srila Sridhar Maharaj disse: " Então eu lhe abençoo com mais tempo de vida, esta é minha benção a você".
         No dia seguinte, dia de seu advento, Srila Guru Maharaj começou o dia jubilosamente enumerando diante dos devotos, as glórias de seu amado discípulo. Referiu-se à representação escritural erudita de Srila Gurudeva, sua capacidade de estar disponível quando necessário , sua natureza mística devocional e seu bom senso em todos os afazeres.
         Em sua “Declaração da Sucessão Espiritual” de 1986, Srila Guru Maharaj afirmou a todos os devotos presentes, quando nomeava Srila Govinda Maharaj como seu sucessor, que “todos os meus irmãos espirituais tem muito afeto por ele e estão felizes que ele receba essa posição”. Dois anos depois, em 12 de agosto de 1988, Srila Rakshaka Sridhara Deva Goswami Maharaja mundialmente conhecido pelo nome afetuoso e reverente de “Srila Guru Maharaj”, desapareceu de seus passatempos manifestos neste mundo, deixando como sucessor seu principal servo divino Srimad Bhakti Sundar Govinda Dev-Goswami Maharaj.

PARTIDA DE SRIDHAR MAHARAJ

        No mesmo dia em que Guru Maharaj desapareceu desse mundo material, uma grande árvore de manga, muito forte, abandonou o corpo. Srila Gurudeva começou a meditar nesse fato e viu que seriam necessárias dua colunas que apoiassem o teto de uma eventual construção diante do samadhi de Srila Guru Maharaj,e uma dessas colunas terias que ser no ponto onde essa árvore estivera. Srila Gurudeva comenta: “Eu não pude compreender como o templo se manifestaria, enquanto que a árvore sim”. Srila Govinda Maharajj deu ao Samadhi Mandir de Srila Guru Maharaj o nome de “Templo da União na Separação”.

VIAGENS AO BRASIL DE GURUDEVA

       Em 1994, Srila Govinda Maharaj fez sua primeira visita ao Brasil, acompanhado de Sripad Paramahansa Maharaj, Sripad Janardan Maharaj, Sripad Swarupananda e outros ilustres vaisnavas. O encontro teve lugar em Vargem Grande Paulista (SP), em um festival de dez dias. Deu palestras no Clube Paulistano e no Instituto de Yoga Rohini Shakti DD. Também deu uma palestra na casa de Palak Krishna para Mirna Grish, que foi publicada na revista Planeta, edição de agosto de 1994. Nessa ocasião, Srila Gurudeva trouxe Sri Gouranga Sundar, a primeira deidade que ele instalou fora da Índia.
        Em setembro de 1998, Srila Gurudeva fez sua segunda viagem ao Brasil. Desta vez, o evento reuniu os vaisnavas no Krishna Shakti Ashram de Campos de Jordão (SP). Ficou por dez dias acompanhado de sua comitiva devocional que desta vez incluiu também Sripad Ashram Maharaj, do México e a primeira sannyasini da missão, Srimati Bhakti Lalita Maharani.

SEU SUCESSOR

        No dia de seu Vyasapuja , em 4 de dezembro de 2009, ele nomeia como seu sucessor no autêntico parampara, seu querido discípulo Sripad Bhakti Nirmal Acharya Maharaj, assim como seu amado Srila Guru Maharaj tinha feito com ele antes de abandonar esse mundo material, deixando para a eternidade suas glórias, sua devoção e seu amor.

SEU DESAPARECIMENTO
         Nosso amado Srila Gurudeva Govinda Dev-Goswami Maharaj abandonou o seu corpo e encerrou seus passatempos transcendentais neste mundo, numa sexta-feira, 26 de março de 2010, por volta das 20h (horário do Brasil), 27 de março ( 4:30 h/ Índia), nesse dia sagrado de Goura Dwadasi, tendo assim se reencontrado com Srila Guru Maharaj e seus amados Sri Sri Gaura Radha e Krishna.

Seus adorados pés de lótus
Om Visnupad Jagad-Guru Srila Bhakti Sundar Govinda Dev-Goswami Maharaj Ki Jay!!!!!!

Esta é uma pequena compilação de Murali Manohara Das.

Temas abordados no Srimad-Bhagavatam


O Srimad-Bhagavatam é um purana (suplemento histórico dos Vedas). Ele é formado por 12 cantos e 18000 versos. Foi escrito pelo autor dos Vedas, Srila Vyasadeva, que relata a seu filho Sukadeva Goswami, que por sua vez relata a Maharaj Parikshit, em Hastinapura (Déli), a beira do rio Ganges. Suta Goswami também ouve e transmite em uma reunião de sábios na floresta de Naimisharanya.

   No presente texto, cito o assunto e a localização para mais detalhes nesse purana (canto, capítulo e verso), que pode ser encontrado nos templos Hare Krishna e nas bibliotecas de muitas universidades do país.

DISTÚRBIOS NATURAIS - deve-se entender que nasceu um demônio ali ou a população demoníaca está aumentando naquela área (Bhag. 3.17.4).

GÊMEOS - a criança concebida primeiramente nasce mais tarde, e a concebida mais tarde nasce em primeiro lugar (Bhag. 3.17.18).

CANIBAIS ou RAKSHASAS-criados pelo Senhor Brahma, são nascidos na noite. Existem representantes deles em várias partes do mundo (Bhag. 3.20.19).

APETITE HOMOSSEXUAL-criação do Senhor Brahma, os asuras nasceram de suas nádegas e quiseram ter relações com o Senhor Brahma (Bhag. 3.20.23).

CERIMÔNIA PARA GERAR UM FILHO-no sistema védico chama-se garbhadhana-saniskara. Antes de gerar o filho é preciso santificar a mente. Os pais localizam a mente nos pés de lótus do Senhor e sob tais condições, o filho nasce.Naturalmente surgem filhos que são bons devotos (Bhag. 3.20.28).

FANTASMAS ou DUENDES MALIGNOS - criação de Brahma. Eles destinam-se a pôr a alma condicionada em diversas misérias.


Bhurloka - nome do planeta Terra.
 
INSANIDADE ou PERSEGUIDOS POR FANTASMAS-ocorre num estado impuro da existência. Se o homem saliva durante o sono, ele torna-se impuro e os fantasmas tomam seu corpo (Bhag. 3.20.41).

SRADDHA-ritual a antepassados, para que tenham corpos grosseiros novamente. Vaisnavas não fazem esse ritual, pois liberam até o 14º pai (Bhag. 3.20.43).

MESTRE DE KRISHNA-chama-se Sandipani Muni, como qual o Senhor aprendeu todos os Vedas, ouvidos uma única vez. Para recompensá-lo, Krishna foi buscar seu filho morto em Yamaloka e o trouxe de volta ao seu mestre espiritual (Bhag. 3.3.2).

BRAHMA-um dia de Brahma é igual a 4.300.000 anos. Um Brahma vive cem anos de tais dias e então morre. Quando isso ocorre o universo é aniquilado e as entidades vivas repousam no estômago do Senhor (Bhag. 2.6.11).

CABELOS DE KRISHNA-são sempre negros. Os de Balarama também. Mesmo velhos parecem jovens de 16 anos (Bhag. 2.7.26).

RAMA-originalmente é a encarnação de Vasudeva. Seus irmãos Laksamana é Sankarshana, Bharata é Pradyuma e Shatrughna é Anirudha. Sita é a potência interna do Senhor (Bhag.2.7.23).

 


IMAGEM DO SENHOR NA INFÂNCIA-deve-se dar uma imagem do Senhor para criança ver ou brincar (Bhag. 1.12.30).

SACRIFÍCIO ANIMAL-animais destinados ao sacrifício não eram mortos. Os grandes sábios repetiam mantras a um animal velho no fogo e ele era rejuvenescido.O objetivo era testar os mantras védicos e não para produzir carne (Bhag. 4.4.7).

BRAHMA É UM POSTO-Brahma é em quase todos os casos uma entidade viva comum. Às vezes, quando não há entidade viva disponível, o posto de Brahma é ocupado por uma expansão do Senhor Vishnu. Normalmente é ocupado por uma entidade viva comum altamente piedosa dentro deste universo (Bhag. 4.4.16).

OFENSA A UM MESTRE-um brahmana ao ouvir difamação de um mestre deve deixar o local ou tapar os ouvidos para que não ouça a blasfêmia (Bhag. 4.4.17).

LADRÕES E BANDIDOS-e também saqueadores e população indesejada só podem existir em um país onde não haja governante forte. Quando em nome da justiça, dá-se liberdade aos ladrões, o país é perturbado por saqueadores e população indesejada (Bhag.4.5.8).

ASSASSINOS-segundo a lei de Manu eles devem ser mortos, porque serão beneficiados. Caso continuem vivos cometerão novos assassinatos, complicando suas vidas futuras (Bhag. 4.6.4).

MASSA DO CÉREBRO-a massa cinzenta não é o centro da inteligência: é a consciência de uma alma em particular que trabalha inteligentemente.(Bhag. 4.7.5).

ORIGEM DE TUDO-tudo é gerado de Vishnu: o Senhor Brahma nasceu do corpo de Vishnu e o Senhor Shiva nasceu do corpo de Brahma (de entre os olhos de Brahma)(Bhag.4.3.12 e 4.7.50).

SIDDHALOKA-um planeta deste universo. Seus habitantes são perfeitos na conquista da yoga e podem voar pelos céus sem aviões.

OM NAMO BHAGAVATE VASUDEVAYA - é o mantra para adorar o Senhor Krishna (Bhag. 4.8.54).

PLANETAS CELESTIAIS-só se alcançam esses planetas através de atos piedosos ou virtuosos: executando sacrifícios, dando caridade e se submetendo a austeridades severas. Quando as reações de tais atos piedosos expiram, o desfrutador se degrada outra vez a este planeta terrestre. (Bhag. 1.15.12).

RESIDÊNCIA DE VYASADEVA-ele vive em Samyaprasa, em Badarikashrama, nos Himalaias (Bhag. 1.9.15).

SISTEMAS PLANETÁRIOS-existem 14 esferas de sistemas planetários. Dividem-se em: 1.Inferiores (bhurloka), que vão da cintura até as solas dos pés do Senhor;
2.Intermediários (Bhuvarloka), que estão na região do umbigo do Senhor.Aqui se situa a Terra e
3.Superiores (Svarloka), que vão do peito à cabeça do Senhor.
Esses sistemas ocupam um espaço no universo de três bilhões vezes três bilhões de quilômetros quadrados.(Bhag. 2.5.38 a 42).

TÓPICOS DA CONSCIÊNCIA DE KRISHNA


· O GURU-PARAMPARA é o nosso meio de ver Krishna.

· Purana é um suplemento histórico dos Vedas. Existem 18 puranas.

· Os quatro defeitos da pessoa mundana: (bhrama)comete erros, (pramada)está invariavelmente iludida, (vipralipsa)tem tendência a enganar e é limitada pelos (karanapatava)sentidos imperfeitos.

· Upanishad é um tratado filosófico que aparece nos Vedas. São ao todo 108.

. Mahajanas - são santos, sábios e devotos grandiosos.

· O som que sai do búzio tocado por Krishna: “Meus devotos nunca serão derrotados”.

· Verdadeira conclusão para o aparecimento de Krishna: é que Ele aparece para Seu próprio prazer.

· O espírito é a base para o desenvolvimento da matéria.

· Caitanya Mahaprabhu ensinou VIPRALAMBHA-SEVA, serviço a Krishna em separação.

· Vedanta-sutra ou Brahma-sutra é o resumo da literatura védica.

· Shaktyavesha-avatara - é a encarnação do poder de Vishnu investido numa entidade viva.

· O mantra HARE KRISHNA significa: “Ó Senhor Krishna, por favor, ocupai-me em Vosso serviço eterno”.

· Conclusão ou objetivo dos Vedas: resume-se em compreender Krishna. “Vedais ca sarvair aham eva vedyah” (“Através de todos os Vedas, Eu sou o que há de ser conhecido”) Bg.15.15.

· As 108 contas representam as 108 gopis individuais (Krsna Book).

· Casamento de Krishna: Ele casou-se com 16.108 esposas e cada uma delas teve 10 filhos. Cada um deles teve 10 filhos. Ele é o Senhor de Dvaraka. Satyabhama é uma das principais rainhas de Krishna de Dvaraka.

· As seis opulências que só Krishna tem simultaneamente: beleza, riqueza, poder, fama, conhecimento e renúncia.

· O MAHABHARATA é a história da Índia (Bharata). Possui 100.000 versos.

· Cikirshitam - refere-se ao aparecimento e o desaparecimento de Krsna.

· Hiranyakasipu e Hiranyaksa são os grandes devotos Jaya e Vijaya, que vieram a este mundo material porque Krishna deseja lutar.

· O termo hindu foi dado aos indianos pelos muçulmanos. Existe um rio chamado Sindhu, que faz fronteira com as províncias situadas ao noroeste da Índia. Como os muçulmanos não conseguiam pronunciar corretamente o nome Sindhu, eles chamavam o rio de hindu, e os habitantes daquela terra de “hindus”.

. Tempo nos planetas celestiais - cada dia dos semideuses corresponde a um período de seis de nossos meses.

· Mil nomes de Vishnu= um nome de Rama.
Três nomes de Rama= a um nome de KRISHNA (Bhag.1.19.6)

. O rito Sati - quando a esposa entra no fogo do esposo, rumo à morte (Bhag. 1.13.58)

.DVIJA-BANDHUS OU BRAHMA-BANDHUS - filhos indignos dos brahmanas.

. As potências (shakti) são três:
svarupa-sakti : potência interna
tatastha-sakti:potência marginal(Somos nós)
maya-sakti: potência externa

AS SAMPRADAYAS VAISNAVAS

Temos quatro grandes escolas vaisnavas:

1.MADHAVA GAUDYA SAMPRADAYA

Também conhecida como Brahma Sampradaya, adora Radha-Krishna. Ela vem do Senhor Brahma. Principal acarya: Madhava (1238-1317 d.C.). Doutrina: suddhadvaita ou dvaita-vada (dualismo puro) . Existe uma eterna distinção entre o indivíduo e o Absoluto. De Madhavacarya o Senhor Caitanya assimilou a total rejeição da filosofia mayavada e o principio da adoração à deidade do Senhor Krsna.


2.RAMANUJA SAMPRADAYA

Também conhecida como Sri Sampradaya ou Lakshmi Sampradaya, adora Lakshmi-Narayana. Ela vem de Lakshmi. Principal acarya: Ramanuja (1017-1137 d.C.). Doutrina: vishistadvaita (não-dualismo qualificado). Só existe o Deus Absoluto que contém tudo dentro de si. Todos os seres individuais são fundamentalmente iguais.  De Ramanujacarya, o Senhor Caitanya aceitou o conceito de devoçao pura, sem mácula alguma de Karma (ganho material) e jnana (monismo), e o serviço aos vaisnavas.


3.VISHNUSWAMI SAMPRADAYA

Também conhecida como Rudra Sampradaya. Ela vem do Senhor Shiva. Principal acarya: Vallabha (700 d.C.). Doutrina: vishuddhadvaita (não-dualismo puro) ou shuddha-advaita-vada. Só existe o Ser Absoluto e tudo o mais é falso. De Visnusvami, o Senhor Caitanya adotou a filosofia por trás da atitude de se depender plenamente de Krsna e a beleza do serviço devocional espontâneo.


4.NIMBARKA SAMPRADAYA
Também conhecida como Sanaka Sampradaya ou Nimbaditya Sampradaya ou Kumara Sampradaya. Ela vem de Sanaka Kumara (um dos quatro Kumaras).Principal acarya: Nimbarka (1130-1200 d.C.). Doutrina:dvaitadvaita-vada (dualismo na unidade ou dualismo com monismo). A alma é una em qualidade e não é una em quantidade com Deus. Nimbarkacarya contribuiu com o ideal máximo, o elevado amor que as gopis demonstraram por Krsna em Seus passatempos de Vraja; e a necessidade de refugiar-se exclusivamente nelas. De Nimbaditya, o Senhor Caitanya aceitou o refúgio exclusivo aos pés de Srimati Radhika e os sentimentos das gopis.


    A filosofia Vaishnava estabelecida por Sri Chaitanya Mahaprabhu é conhecida como "achintya bedhabedha tattwa", a inconcebível unidade (adwaita) e diferenciação (dwaita) entre o Infinito (Deus) e o infinitesimal (nós). Unificando as quatro sampradayas, Ele revelou o aforismo "achintya bedhabedha tattwa",  a filosofia segundo a qual o Senhor Supremo, por Sua insondável potência transcendental, é , simultânea e inconcebivelmente (acintya) igual(bhedha) as Suas criações e diferentes(abheda) delas.

Buscando os adoradores de Sri Bhagavam Krishna


    Em minha vivência de algumas décadas , com toda a cobertura de maya (ilusão) e karma (ação e reação) deste mundo material, quero contatar e buscar os eternos praticantes de vaisnava-dharma na Kali-yuga. Eu, Murali Manohara Dasa, procuro fazer um seva(serviço) a Gurudeva Srila Govinda Maharaj, que irradia suas bençãos e krishna-prema de Navadvipa (Bengala/Índia) para o mundo.